Londres exige segurança na cidade

Londres fez da eliminação dos acidentes rodoviários uma primeira prioridade. Segundo um projeto de proposta, todos os veículos pesados com mais de 12 toneladas terão de possuir uma licença de segurança para transitar na cidade a partir de 2020. E há outras cidades prontas a seguir o exemplo.

Piccadilly Circus, centro de Londres.

As ruas estreitas de Londres estão constantemente ocupadas por carrinhas de transporte, camiões, táxis e autocarros com dois andares, além de peões e uma frota crescente de ciclistas.

Nas ruas estreitas de Londres, carrinhas de transporte, camiões, os icónicos táxis pretos e os autocarros vermelhos com dois andares enchem as estradas todas as manhãs, juntando-se aos peões e à frota crescente de ciclistas da cidade.

Com tantas pessoas e veículos a acotovelarem-se para conquistar um espaço limitado na estrada, o risco de choques é elevado. A mistura de camiões, ciclistas e peões tem-se revelado particularmente perigosa.

Ao longo dos últimos três anos, os veículos pesados têm estado envolvidos em 20 por cento das mortes de peões e mais de 70 por cento das mortes de ciclistas em Londres. Isto apesar de os camiões transitarem apenas em quatro por centro das milhas rodoviárias que compõem a cidade, segundo as estatísticas da autoridade de transporte da cidade, a Transport for London.

 

As ruas de Londres

A mistura de camiões, ciclistas e peões que procuram conquistar um espaço limitado nas ruas de Londres significa que o risco de colisão é elevado.

Will Norman

Will Norman, Comissário de Marcha e Ciclismo da Transport for London, acredita que melhorar a visão direta da cabina dos camiões irá reduzir o risco de impacto com peões e ciclistas.

Apesar de serem elevadas, estatísticas como estas não são exclusivas de Londres. Uma pesquisa da Equipa de Investigação de Acidentes da Volvo Trucks revelou que, em 2014, cerca de 1 230, ou 32 por cento, das fatalidades com veículos pesados na UE foram utilizadores vulneráveis das estradas. Apesar de a segurança rodoviária ter melhorado globalmente, as taxas de acidentes com utilizadores vulneráveis das estradas tem-se revelado mais difícil de mitigar. 

Para tornar as suas estradas mais seguras, a Transport for London colocou a redução dos perigos rodoviários no cerne do seu processo de tomada de decisões. Além disso, está a colaborar com grupos de utilizadores vulneráveis das estradas e fabricantes de automóveis, incluindo a Volvo Trucks, para encontrar soluções. 

Então o que podemos fazer? Um grande plano em curso é o desenvolvimento da primeira Norma de Visão Direta (NVD) para veículos pesados. 

"A visão direta da cabina demonstrou ter um impacto substancial na redução do perigo para peões e ciclistas, já que os ângulos mortos são um factor crucial nas colisões," afirma Will Norman, Comissário de Marcha e Ciclismo da Transport for London.

Segundo o projeto de proposta, todos os veículos pesados com mais de 12 toneladas terão de possuir uma licença de segurança para transitar na cidade a partir de 2020.

O plano ainda está a ser estudado, explica Will Norman. De acordo com as linhas gerais da proposta, seria emitida uma licença para a entrada em Londres de veículos pesados que cumpram os requisitos mínimos de visão direta ou que possam demonstrar medidas equivalentes de redução dos riscos para utilizadores vulneráveis das estradas. A proposta final incluirá especificações como sensores e avisos visuais.

"Estamos a trabalhar para que as nossas ruas se tornem mais seguras, mas precisamos que as empresas transportadoras melhorem a segurança das suas frotas," afirma Will Norman.

 

Atravessar a estrada.

Ao longo dos últimos anos, os veículos pesados têm estado envolvidos em 20 por cento das mortes de peões e mais de 70 por cento das mortes de ciclistas em Londres.

A Volvo Trucks tem seguido de perto os desenvolvimentos em Londres.
"Aplaudimos o esforço que está a ser feito em Londres para assegurar a segurança rodoviária dentro da cidade e proteger utilizadores vulneráveis das estradas mediante os empenhos conjuntos de entidades diferentes," diz Claes Avedal, Gestor de Segurança de Planeamento de Produtos da Volvo Trucks.

Estamos a trabalhar para que as nossas ruas se tornem mais seguras, mas precisamos que as empresas transportadoras melhorem a segurança das suas frotas.

Will Norman

Comissário de Marcha e Ciclismo da Transport for London

Claes Avedal.

Claes Avedal, Gestor de Segurança de Planeamento de Produtos da Volvo Trucks, saúda a iniciativa de Londres e acredita que outras cidades irão seguir o seu exemplo.

Norman prevê que os camiões concebidos especificamente para oferecerem uma visibilidade máxima se venham a tornar mais comuns nas ruas de Londres e de outras cidades que procuram melhorar a segurança urbana. Tal inclui equipamento específico como janelas suplementares e câmaras, chassis de altura baixa e tipos de veículos específicos como o Volvo FE Low-Entry Cab, que tem um chassis muito baixo e a opção de janelas mais largas, que abrangem quase toda a largura das portas da cabina. As janelas suplementares oferecem ao motorista uma visibilidade direta lateral. 

"No que respeita à maximização da visibilidade direta, é o veículo mais avançado, permitindo que o condutor esteja quase ao nível do olhar com os ciclistas e peões da estrada," afirma Claes Avedal. 

Além de trabalhar para implementar uma Norma de Visão Direta (NVD), a Transport for London está a implementar um vasto conjunto de outras medidas para melhorar a segurança rodoviária, desde cortar os limites de velocidade a criar obstáculos à velocidade através de um novo desenho das ruas, melhorando a aplicação da lei e reconstruindo os cruzamentos mais perigosos da cidade.

"São muitos os fatores – desde o design do veículo, passando pelo planeamento de vias, perceção do tráfego e desenho das ruas – que contribuem para tornar as interações entre os camiões e os utilizadores vulneráveis de ruas mais seguras," afirma Claes Avedal.

A Volvo Trucks também aplica uma abordagem multifacetada à segurança. Integra áreas como a pesquisa de segurança, o desenvolvimento de tecnologias de segurança, incluindo a Monitorização da Faixa de Rodagem e o Travão de Emergência Avançado, e ainda o desenho de veículos mais seguros e a formação de condutores. Campanhas de perceção do tráfego, como as iniciativas "Pare, Olhe, Acene" e "Veja e seja visto" também constituem uma grande parte deste trabalho. 

 

A segurança urbana é uma prioridade da agenda política em muitos locais, pelo que devemos esperar muitas mudanças em todo o mundo.

Claes Avedal

Gestor de Segurança de Pleaneamento de Produtos da Volvo Trucks

Em 2041, a Transport for London espera que não haja quaisquer acidentes ou fatalidades nas suas estradas, e que 80 por cento de todos os londrinos se desloquem a pé, de bicicleta ou por transporte público.

"Podemos contar com outras mudanças em cidades de todo mundo para breve," diz Claes Avedal. "Na Volvo Trucks, partilhamos a visão de Londres de eliminação dos acidentes. A segurança rodoviária nas cidades tem estado atrasada em relação a outras áreas. No entanto, tornou-se agora numa prioridade da agenda política em muitos locais, pelo que devemos contar com a aplicação de muitas mudanças em todo o mundo."
Londres está na vanguarda.

As metas de Londres para 2041

  • Zero acidentes graves ou fatalidades nas estradas da cidade.
  • Espera-se que 80 por cento de todos os londrinos se desloquem a pé, de bicicleta ou por transporte público, de acordo com a Transport for London.

 

Relatório de Segurança da Volvo Trucks, 2017

A Equipa de Pesquisa de Acidentes da Volvo estudou e analisou mais de 1 700 acidentes que envolveram camiões desde 1969. O objetivo é aumentar o entendimento da segurança rodoviária e facultar orientações à definição de prioridades para o desenvolvimento futuro de medidas de segurança rodoviária.

O número de fatalidades em acidentes com veículos pesados (VP) somou um total de 3 863 na UE em 2014.

13%
499 fatalidades
Acidentes que causaram fatalidades em ocupantes de VP.

49%
1 898 fatalidades
Acidentes que causaram fatalidades aos ocupantes de carros.

32%
1 230 fatalidades
Acidentes que causaram fatalidades a utilizadores vulneráveis das estradas (UVE).

6%
236 outras fatalidades relacionadas com VP.
Das 1 230 fatalidades com UVE (em 2014, na UE), 53% envolveram peões,
22% envolveram ciclistas e 25% envolveram condutores de motociclos ou motociclistas.

Acidentes que causaram fatalidades ou lesões graves a utilizadores vulneráveis das estradas na UE em 2014.

20%
Envolveram um VP que dava uma curva.

30%
Acidentes a atravessar a estrada.

Aspetos a considerar

Claes Avedal, Gestor de Segurança de Planeamento de Produtos da Volvo Trucks oferece três considerações importantes para os clientes de camiões melhorarem a segurança urbana e a visibilidade. 

Planear a rota
"Planeie os pontos de entrada e saída seguros dos locais de trabalho movimentados, a rota do veículo pela cidade para evitar vias demasiado movimentadas ou estreitas e interações com utilizadores vulneráveis das estradas. O planeamento pode fazer toda a diferença."

O veículo certo para o serviço
"Muitos clientes querem um camião o mais flexível possível. Isso pode significar que escolhem um chassis mais elevado, apesar de os seus serviços se realizarem principalmente na cidade. No entanto, um chassis mais baixo permite que o motorista esteja mais perto do chão e veja melhor o que se passa à volta do veículo."

As câmaras e uma janela lateral mais baixa oferecem uma perspetiva alargada
"É possível ver toda a parte da frente e dos lados do veículo utilizando apenas janelas e espelhos. No entanto, a opção de uma câmara no canto e de uma janela mais baixa na porta do lado direito oferece ao motorista uma perspetiva mais ampla, que pode prevenir colisões quando o camião está a dar uma curva."

Related News

Filtrar artigos

5 true 5